Pierre Dulaine é o personagem principal do filme Vem Dançar Comigo, mas é também o protagonista na vida real de uma história singular. Hoje ele é um conhecido professor, cujo programa de dança de salão, o Método Dulaine, é ensinado em 240 escolas em todos os Estados Unidos. Ele também viaja por todo o mundo falando sobre seu método e ensinando os princípios em diferentes culturas.

A vida de Dulaine é repleta de reviravoltas. Nascido na Palestina durante a Segunda Grande Guerra. fiilho de pai irlandês e mãe metade, palestina, metade francesa, Pierre passou a infância e parte da adolescência em países do Oriente Médio. Essa diversidade de culturas além de lhe ajudar a baixar a barreira de preconceitos, ensinou-lhe também a falar três distintas línguas. Árabe, francês e inglês (este com sotaque árabe). Em 1956, por conta da crise do Canal de Suez, a família mudou-se para Birmingham, Inglaterra, onde um ano depois, ele começou a fazer aulas de dança.

Em uma entrevista sobre seu método, ele conta que tornou-se quem é graças as dificuldades porque passou. Contou que ao retornar à Inglaterra percebeu que não estava confortável nem seguro em sua escola. Era tímido, retraido, tinha pouca confiança em si mesmo e seus colegas caçaovam de seu sotaque. Um dia acompanhando um colega que fora se matricular em uma aula de dança, percebeu uma chance de fazer algo diferente. Para poder pagar o curso, passou a lavar carros nos finais de semana e a entregar jornais. Começou como um péssimo dançarino, mas as aulas lhe deram autoconfiança e ele foi ficando. Sua vida dali em diante foi de altos e baixos até se firmar como profissional de dança. Primeiramente como dançarino e depois como professor. Foram anos de trabalho, conquistas, prêmios e viagens por todo o planeta.

Aos 44 anos ele se ofereceu para dar aulas de dança de salão na Escola Nacional de Artes Performáticas em Nova Iorque. Porque segundo ele, estava na hora de devolver à sociedade um pouco daquilo que ele havia conquistado para si. Durante três anos lutou pelo direito de colocar as danças de salão na grade das escolas fundamentais americanas, até conseguir. O passo seguinte, foi ainda mais árduo, pois teria que convencer, pais, professores e diretores da importância da dança na grade escolar. Mas foi ai, como ele mesmo diz que começou a verdadeira jornada de sua vida. A jornada do aprender a dar.

Ele afirma que existe um momento na vida de todos nós em que sentimos a necessidade de fazer algo pela sociedade. Essa vontade chegou a ele. E tudo o que sabia era dançar e que gostava muito de crianças. Então juntou as duas coisas e criou um método extraordinário, onde além de lecionar várias danças de salão, como rumba, valsa, foxtrot, reggae entre outras, ensina às crianças habilidades e princípios que estas levarão para as suas vidas. Princípios como respeito, gentileza, a importância do trabalho em equipe, compaixão, falar olhando nos olhos das pessoas. Ele conta que a dança é uma conversa entre duas pessoas através do movimento, e que estas pessoas se ajustam e se adaptam continuamente.

Em sua entrevista, Pierre passa vários conceitos e lições que aprendeu através da dança. Em um dado momento, ele diz: ¨Não tenham medo de que aconteçam coisas novas em suas vidas. Coisas acontecem por uma razão. E nunca sabemos o que vai acontecer quando viramos a esquina, quem vamos conhecer, o que vai nos acontecer.¨
Dulaine é um exemplo de força, intenção, vontade, trabalho e persistência. Através do método que criou ajudou a fazer a diferença, a dar mais dignidade e respeito a um mundo tão desacreditado.